tempo.com

Esse asteroide chega à Terra em 2029 e a NASA planeja interceptá-lo

O asteroide Apophis está se aproximando perigosamente de nós e pode causar um evento catastrófico. Para avaliar os riscos que corremos, a NASA está preparando uma missão para interceptar diretamente o objeto no espaço.

Esse asteroide chega à Terra em 2029 - E a NASA planeja interceptá-lo
O asteroide batizado de Apophis se aproximará perigosamente da Terra 2029, proporcionando uma oportunidade única de obter informações vitais sobre o objeto e os riscos que ele representa.

Astrônomos descobriram que um asteroide potencialmente perigoso chegará ao nosso planeta dentro de sete anos - E não, esta não é uma resenha do filme “Não Olhe Para Cima”. Espera-se que o objeto, hoje conhecido como Apophis, chegue à Terra por volta do dia 13 de Abril de 2029.

Será possível ver o asteroide no céu conforme ele passa por distâncias tão próximas quanto as órbitas de alguns dos nossos satélites, ameaçando inclusive atingir alguns dos instrumentos e causar grandes prejuízos.

Quando astrônomos o detectaram pela primeira vez em 2005, perceberam que o asteroide tinha 340 metros, o tamanho do Empire State Building - e o suficiente para causar um evento de extinção em massa no nosso planeta.

Agora, cientistas acreditam que a primeira passagem do asteroide não representa um risco para o planeta, mas a gravidade da Terra desviará a trajetória do asteróide, que pode passar perto do planeta novamente por volta de 2060 com uma rota muito mais perigosa.

NASA planeja interceptar Apophis antes de sua chegada

Para garantir que o planeta não está em perigo, os cientistas da NASA estão planejando fazer uma investigação direta no asteroide, enviando uma missão para interceptá-lo. As descobertas e planos iniciais já foram publicadas no Decadal Survey for Planetary Science and Astrobiology.

Se tudo ocorrer conforme o planejado, a missão será capaz de interceptar o objeto meses antes de sua aproximação máxima, identificando suas propriedades físicas, compostos internos, mapeando sua estrutura e calculando o risco real de impacto.

Afinal, se há uma chance, por menor que seja, de Apophis entrar em uma nova trajetória que faça o objeto colidir com a Terra, é melhor descobrir agora tudo que for possível a respeito do objeto, inclusive como desviá-lo para uma nova trajetória.

Espera-se que asteroides perigosos como o Apophis passem pela Terra pelo menos uma vez a cada mil anos, então é um ótimo momento para os astrônomos fazerem um acompanhamento e teste paralelo ao DART - um projeto em parceria entre a NASA e a ESA que tentará redirecionar a trajetória de uma rocha espacial.

Apophis é uma relíquia antiga da formação do sistema solar e, por si só, seu estudo pode revelar muito sobre a história do nosso próprio planeta. Mesmo que não seja um risco para nós, estudá-lo é uma oportunidade única que pode se repetir novamente só daqui a mil anos.

Mais detalhes sobre o projeto de interceptação e sua execução serão apresentados e discutidos no próximo briefing público, que ocorrerá nesta terça-feira, 19 de abril de 2022.