Como os furacões nascem?

Furacão, ciclone tropical ou tufão: três nomes para descrever o mesmo sistema que se diferenciam pela localização geográfica de formação. O sistema se trata de uma tempestade tropical evoluída que rotaciona e se forma sobre águas oceânicas quentes.

Davi Moura Davi Moura 01 Set. 2019 - 13:14 UTC
Um ciclone tropical médio pode viajar cerca de 500 a 650 km por dia, ou cerca de 5000 km antes de morrer.

Ciclones tropicais ocorrem ao redor do equador entre 5° e 30° de latitude em ambos os hemisférios. O sistema possui nomes variados que dependem de onde eles se formam: Furacões para aqueles que se desenvolvem no oceano Atlântico e Pacífico leste, Tufão para os que nascem no Pacífico oeste e ciclone tropical para aqueles que nascem no oceano índico.

Os ciclones tropicais são importantes na Terra para transferir calor e energia entre o equador e os polos. Estes sistemas se formam e se intensificam sob um conjunto específico de condições necessárias. Essas condições devem ser atendidas para que um ciclone tropical se forme, no entanto, a presença dessas condições não garante o desenvolvimento. Seis condições necessárias para o desenvolvimento:

  • Águas mornas do oceano de pelo menos 27°C;
  • Pelo menos 5° de latitude do equador;
  • Baixo cisalhamento vertical do vento;
  • Umidade na média troposfera;
  • Condições instáveis;
  • Perturbação pré-existente;

A energia que aciona um ciclone tropical é transferida à medida que a água quente é evaporada do oceano tropical. Ao passo que o ar úmido condensa e forma nuvens, quase toda a energia armazenada (calor latente), é liberada para a atmosfera. Essa liberação de energia térmica aquece o ar e a pressão diminui ainda mais, resultando na intensificação do sistema. A rotação que o sistema apresenta é causado pela força de Coriolis (uma força aparente devido a rotação do planeta). Os ciclones tropicais evoluem através de estágios durante o seu ciclo de vida: perturbação tropical, depressão tropical, tempestade tropical e ciclone tropical/furacão/tufão.

Perturbação Tropical

A perturbação tropical é o estágio em que existe apenas uma ligeira circulação, sem isóbaras fechadas em torno de uma área de baixa pressão. As perturbações tropicais geralmente estão presentes nos ventos alísios tropicais e são frequentemente acompanhados por nuvens e precipitação.

Depressão Tropical

Se os ventos aumentam para pelo menos 37 km/h, uma perturbação tropical passa a ser classificada como depressão tropical. A velocidade do vento na superfície varia entre 37 e 62 km/h. A depressão tropical tem pelo menos uma isóbara fechada que acompanha uma queda de pressão no centro da tempestade.

Tempestade tropical

Se a velocidade do vento aumentar para pelo menos 64 km/h, uma depressão tropical é classificada como uma tempestade tropical. A velocidade do vento na superfície varia entre 64 e 120 km/h e a tempestade se torna mais organizada. A aparência das tempestades tropicais já possuem a aparência dos furacões devido à circulação intensificada.

Furacão

A medida que as pressões superficiais continuam a cair, uma tempestade tropical se torna um furacão quando as velocidades do vento excedem 120 km/h. Uma rotação pronunciada se desenvolve em torno do núcleo central, à medida que as faixas espirais de chuva giram em torno do olho da tempestade. A precipitação mais forte e os ventos mais fortes estão associados à parede do olho.

Publicidade