tempo.com

Artemis I: novos recordes e registros incríveis do lado oculto da Lua

No décimo terceiro dia da missão Artemis I a espaçonave Orion fez registros incríveis da Lua e da Terra, enquanto seguia viagem pelo lado oculto da Lua! Além de fazer esses registros, a cápsula bateu recorde de maior distância da Terra!

Artemis I NASA
Foto feita pela câmera instalada do lado externo da cápsula Orion. Nela podemos ver parte da cápsula, a Lua e a Terra ao fundo. Imagem: NASA.

A cápsula Orion deixou a Terra a bordo do foguete Space Launch System (SLS), no dia 16 de novembro, mais precisamente da plataforma 39B do Kennedy Space Center, no estado da Flórida, Estados Unidos, iniciando finalmente a missão Artemis I. Esse é o primeiro grande passo da missão Artemis, da NASA, que tem como objetivo principal enviar humanos à Lua e estabelecer um acampamento sustentável em solo lunar até 2026, visando futuras missões espaciais para Marte!

A Cápsula Orion tem transmitido imagens ao vivo de sua viagem ao redor da Lua, fazendo registros incríveis e inéditos, mesmo quando chegou a distância máxima de mais de 432 mil quilômetros da Terra!

Desde seu lançamento a NASA tem relatado todo o trajeto de Orion e divulgado as imagens feitas pela cápsula, graças às câmeras instaladas dentro e fora da nave, o que tem gerado registros incríveis do nosso grande satélite natural e do nosso planeta! Além dos registros fotográficos, a contínua filmagem feita por Orion é a visualização ao vivo de mais alta definição além da Lua até o momento, embora algumas missões do programa Apollo tenham sido transmitidas além da Lua nas décadas de 1960 e 1970.

No dia 21 de novembro, sexto dia da missão, Orion sobrevoou a Lua a uma distância de apenas 130 km de sua superfície. Esse momento gerou registros, feitos pela câmera de navegação óptica, que revelam detalhes da superfície da Lua. Nas imagens em preto e branco é possível ver detalhes de algumas crateras lunares. Esse sobrevôo próximo à superfície foi necessário para a cápsula ganhar velocidade e entrar na órbita retrógrada distante (DRO, na sigla em inglês) ao redor da Lua.

Nesta segunda (28), décimo terceiro dia da missão, Orion atingiu o ponto mais distante da Terra da sua viagem. A cápsula ficou a 432 210 quilômetros de distância da Terra batendo o recorde de maior distância de uma missão com uma espaçonave projetada para transportar humanos ao espaço profundo e de volta à Terra. O antigo recorde foi estabelecido durante a missão Apollo 13 que chegou a ficar 400 171 quilômetros do nosso planeta.

Enquanto realizava este feito, Orion fez registros impressionantes do lado oculto da Lua - lado que não conseguimos enxergar da Terra devido a Lua estar em rotação sincronizada com a Terra. Inclusive registrou um fenômeno astronômico inédito: um eclipse da Terra pela Lua! Após completar essa volta pela Lua, Orion seguirá viagem de volta para Terra, com chegada prevista no dia 11 de dezembro nas águas do Oceano Pacífico.

Conheça os “tripulantes” da missão Artemis I

Essa primeira etapa da missão Artemis consiste numa viagem não tripulada ao redor da Lua, ou seja, sem nenhum astronauta humano. Porém, isso não quer dizer que a cápsula Orion está fazendo essa viagem vazia!

A bordo da Orion temos alguns tripulantes que estão realizando importantes registros científicos ou executando missões especiais. Entre eles está uma pelúcia do famoso Snoopy, com traje espacial, que está trabalhando com indicador de gravidade zero. O famoso personagem infantil Shaun, o carneiro, também está a bordo para comemorar seus 15 anos de existência e descrever sua jornada aos fãs mirins. A assistente virtual Alexa, da Amazon, também está na Orion, porém na forma de dispositivo Callisto, sendo testada para receber comandos e ajudar os futuros astronautas a gerenciar a cápsula.

Também estão a bordo três manequins com trajes de astronauta, que receberam os nomes de Arturo Campos, em homenagem ao engenheiro da Apolo 13, Helga e Zoar, da agência espacial alemã DLR. Esses três “astronautas” carregam diversos sensores de radiação para inferir todos os possíveis riscos para os astronautas humanos das futuras missões.

Além desses ilustres passageiros, alguns outros itens foram colocados na cápsula, como: uma réplica impressa em 3D de uma estátua da deusa grega Ártemis; uma foto fixa de “Viagem à Lua”, filme de George Méliés, uma pedra de uma praia do Mar Morto, um parafuso do motor do foguete Apollo 11, que foi encontrado no fundo do oceano em 2015, e um pedaço de rocha lunar coletado por Neil Armstrong e Buzz Aldrin durante o primeiro pouso na Lua.