Detectada erupção maior que o planeta Terra

Um gigantesco pedaço de gás quente explodiu e se elevou desde o Sol, guiado por um bucle enorme de magnestismo invisível.

Esta surpreendente imagem foi capturada no dia 27 de julho de 1999 pelo Observatório Heliosférico e Solar (SOHO). A terra se sobrepostou para facilitar a comparação, mostrando que o bucle de gás, ou prominiência, mede de extremo a extremo umas 35 vezes o diâmetro do nosso planeta.

erupcion_esa

Uma proeminência é uma erupção de gás que ascende desde a superfície do Sol. As proeminências são geradas pelos campos magnéticos formados no interior do Sol e explodem atravessando sua superfície até soltar-se na atmosfera solar.

O sol está composto principalmente pelo plasma, um gás carregado de elétrons e íons. Devido a sua carga elétrica, os íons respondem aos campos magnéticos. Deste modo, quando os bucles magnéticos alcançam a atmosfera solar, grandes caudais de plasma se atraem por eles, dando lugar as proeminências, que podem prolongar-se durante semanas ou meses.

Não é comúm observar proeminências tão espectaculares como esta, mesmo detectadas algumas anualmente. Quando começam a colapsar-se, a maioria do gás escapa pelas linhas do campo magnético para voltar ao Sol. No entanto, em ocasiões ficam instáveis e liberam energia no espaço. Estas prominências eruptivas expulsam uma enormes quantidades de plasma, ao que os astrofísicos chamam de “ejeção” de massa coronal. As erupções solares também associam-se com as ejeções de massa coronal.

Se este plasma chega à Terra, poderá pertubar o funcionamento dos satélites, as redes elétricas e as comunicações. Também provoca o brilho da aurora no céu polar.
Capturado pelo telescópio ultravioleta do SOHO, esta imagem mostra gelo ionizado a uns 70.000 ºC.

Fuente: ESA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *