Conferência de Aeromet sobre a segurança, eficiência e o meio ambiente da aviação

O tempo extremo e a mudança climática apresentam desafios presentes e futuros para a aviação.

Uma conferência importante sobre aviação, tempo e clima foi desenvolvido um plano de ação para impulsar o apoio científico sobre a segurança operacional da aviação, a navegação aérea e a proteção do meio ambiente.

As prioridades incluem abordar o impacto atual e futuro nas operações de aviação de condições meteorológicas extremas, mudança climática, fenômenos perigosos como as cinzas vulcânicas, tempo espacial e tempestades geomagnéticas.

A Conferência Científica de Meteorologia Aeronáutica realizaram-se no dia 6 ao 10 de novembro de 2017 em Toulose, França. Foi organizado pela Organização Meteorológica Mundial e co-patrocinado por Météo-France, o fabricante de aviões Airbus e as empresas de tecnologia aeroespacial Selex ES e Thales. Assistiram ao evento mais de 230 participantes, incluidos os instititutos de investigação da ciência atmosférica líderes no mundo, fornecedores de serviços meteorológicos do setor público e privado, operadores de linhas aéreas, pilotos e outros representantes de aviação.

“A aviação é um dos setores econômicos mais sensíveis às condições atmosféricas. Também está em constante mudança. Devido que o tráfico aéreo duplica-se a cada 15 anos, a competência aumenta e a segurança aérea é mais importante que nunca, a demanda de uma gama ampla de serviços meteorológicos nacionais e regionais está aumentando”, disse Chi-Ming Shun, presidente da Comissão de Metereologia Aeronáutica da OMM.

“Devemos nos asegurar que os serviços meteorológicos que proporcionamos sejam aptos e fiéis, tanto agora como no futuro. Isto só poderia acontecer mediante uma colaboração mais intensa com um compromisso ativo entre os investigadores, fornecedores de serviços meteorológicos, usuários de aviação, os reguladores e outras partes interessadas, e esta conferência resultou ser uma plataforma colaborativa de sucesso.

Também reconhecemos que compartilhar mais dados, especialmente nas observações de aeronaves, é essencial para verificar, validar e calibrar novas técnicas de previsão meteorológica que darão beneficios diretamente aos usuários finais”, disse o Sr. Shun.

Tres quartas partes das demoras significativas no trânsito aéreo em regiões com alta densidade de trâfico, estão relacionadas com o tempo e quase a metade dos acidentes aéreos ocorrem durante as operações em condições meteorológicas adversas. Outros desafios incluem erupções vulcânicas e as nuvens de cinzas vulcânicas, um verdadeiro perigo para a aviação.

A mudança climática pode provocar um aumento do tempo extremo e também pode influir na demanda de viagens aéreas. Ao mesmo tempo, é necessário abordar as preocupações sobre o barulho e a contaminação do ar, e o importante rastro de carbono causado pela aviação.

“Espera-se que esta conferência contribuia a uma visão comúm para a investigação e as atividades de desenvolvimento alinhadas com as necessidades e as expectativas em constante mudança na aviação civil internacional” disse Øystein Hov, presidente da Comissão de Ciências Atmosféricas da OMM. “Estimlará investigações especiais enfocadas sobre como abordar as áreas identificadas de alta prioridade do clima de alto impacto que afetam a segurança e a eficiência da aviação, e criará consciência sobre os impactos potencias da mudança climática nas operações de aviação hoje e no futuro”.

A aviação civil internacional está embarcando em um amplo programa de modernização até a decáda de 2030 que poderá experimentar mudanças significativas na forma em que fornecem e utilizam a informação e os serviços meteorológicos. A revisão está encabeçada pela Organização de Aviação Internacional (OACI), que prevê um sistema de gestão de trânsito aéreo armonizado e inter-operável a nivel mundial.

A conferência brindou uma visão geral dos adiantos atuais e previstos na ciência e a tecnologia da meteorologia para apoiar a aviação, e considerou a trasferência mais rápida deste avanços nas operações.

“A aviação já foi embarcada em um programa de modernização para satisfazer a crescente demanda de transporte aéreo comercial, disse Yong Wang, chefe de Operações e Infraestrutura Aeroportuária da OACI. “A informação e os serviços meteorológicos são uma função habilitadora chave nesta modernização e a estreita colaboração contínua entre a OACI e a OMM desempenhará um papel vital na consquista dos nossos objetivos”, adicionou.

Graham Rennie de Qantas Airways disse que “se depende da OMM e seus Membros para garantir que atinjam as tecnologias mais apropriadas, rentáveis e adequadas para satisfazer a necessidade dos usuários de informação meteorolóogica armonizadas, coerente e globalizada”. Enquanto que Klaus Sievers, em representação da Federação Internacional de Associações de Pilotos de Aerolinhas (IFALPA), adicionou que “a comunidade científica devería estar informada através de eventos como esta conferência para intensificar seu trabalho e comunicar os resultados dos seus esforços”.

Também foi levado a cabo, uma sessão especial dedicada aos impatos da mundaça climática e a variabilidade na aviação e os requisitos científicos associados durante a conferência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *