StoreWindows10

O que são Frentes Frias?

Frente fria é o quando o uma massa de ar frio vai ao encontro de uma massa de ar quente, mudando as condições do tempo de uma determinada região, ocasionando queda da temperatura e chuvas.

Piter Scheuer Piter Scheuer 03 Maio 2018 - 10:51 UTC
Sistema de tempestades avançando devido uma frente fria

Durante as previsões meteorológicas informadas na TV, rádio e jornais, provavelmente você já deve ter se deparado com esta frase “ Uma frente fria ingressa durante o final de semana sobre o estado de Santa Catarina e traz chuva acompanhada de queda acentuada na temperatura”. Em qualquer estação do ano as frentes frias sempre aparecem mudando as condições do tempo em uma determinada região tendo uma frequência mais representativa nos meses de inverno.

Estes sistemas meteorológicos são de extrema importância para o ciclo das chuvas, com destaque para as regiões Sul e Sudeste do Brasil, onde atuam com maior frequência e possuem uma duração média em um determinado local próximo de 3 dias, ocasionando chuva com trovoadas e ligeira queda da temperatura a medida que o ar frio na retaguarda da frente fria avança. Dependendo da situação as frentes trazem grandes benefícios a agricultura ou podem estragar o seu final de semana.

Como se formam as frentes frias?

Um sistema como a frente fria ocorre em regiões de grande contraste térmico, quando uma massa de ar frio avança em direção a uma massa de ar quente, deslocando-se dos pólos em direção ao equador, para o Hemisfério Sul. As frentes frias estão associadas ao aumento de nebulosidade, chuvas, que podem vir na forma de temporais (chuva forte, raios, granizo e ventania), mudanças na direção do vento e queda acentuada da temperatura.

Após a sua passagem, geralmente se observa a entrada de uma massa de ar frio (sistema de alta pressão atmosférica) o qual, dependendo de sua trajetória e intensidade, provoca quedas bruscas de temperatura e ocasionalmente formação de geada, principalmente nos meses de outono e inverno.

Esses sistemas avançam com uma velocidade média de 43 km/h e podem ser previstas pelos meteorologistas com até 15 dias de antecedência. A previsão do tempo, incluindo as frentes frias, é feita por meio de diagnósticos de imagens de satélite, cartas sinóticas, dados de estações meteorológicas e modelos numéricos atmosféricos.

Imagens de satélite mostram a evolução de uma frente fria em 48h, nos dias de 16 e 18 de julho de 2017.

Na maioria das vezes as frentes frias movem-se mais rapidamente do que as frentes quentes, forçando o ar quente a subir, sendo que, quando uma frente fria passa, a temperatura pode baixar mais de 5°C só durante a primeira hora. Se o ar quente que sobe estiver úmido, condensa-se formando nuvens cumulus (Cu) e posteriormente nuvens cumulonimbus (Cb), que produzem uma linha de instabilidade pré-frontal com nuvens de tempestade.

Depois da passagem deste sistema, o céu fica mais claro, aparecendo alguns cumulus de bom tempo (cumulus humilis), ocorrendo também, uma considerável queda na temperatura do ar, uma vez que, a massa de ar frio passa a predominar na região.

Caso o ar elevado for quente e estável, há predomínio de nuvens stratus (St) e nimbostratus (Ns), podendo formar nevoeiro na área com chuva. Porém, se o ar for seco e estável, o teor de umidade no ar aumentará e aparecerão somente nuvens esparsas, sem precipitação.

Publicidade