StoreWindows10

Alagamentos, enchentes e inundações: os problemas das grandes cidades

Com o retorno das chuvas as grandes cidades do Brasil voltam a sofrer com os alagamentos, enchentes e inundações. Apesar de muitas vezes serem usados para explicar um mesmo evento, alagamento, enchente e inundação, não são a mesma coisa!

Paola Bueno Paola Bueno 27 Nov. 2018 - 10:29 UTC
Episódios de alagamentos, enchentes e inundações são frequentes durante o período chuvoso nas grandes cidades do Brasil. Foto: Sergio Neves/Estadão Conteúdo.

O retorno das chuvas que vivenciamos nas últimas semanas tem nos beneficiado de várias formas, aumentando o volume dos principais reservatórios do país e melhorando a qualidade do ar. Por outro lado, as chuvas também nos trazem de volta grandes problemas que estamos cansados de vivenciar nas grandes cidades: os alagamentos, enchentes e inundações!

Na última sexta-feira (23/11) uma forte chuva na Região Metropolitana de São Paulo causou grandes alagamentos, transtornos e inclusive a perda de vidas. Situações como essas, infelizmente, são bem comuns nos grandes centros urbanos do Brasil durante o período de chuvas, entre outubro e março, quando as chuvas passam a ser mais intensas e volumosas.

Alagamento, enchente e inundação: qual a diferença?

Um importante ponto para se ter em mente é que alagamento não é a mesma coisa que enchente e nem inundação! Então vamos entender melhor a definição desses termos:

  • Enchente ou cheia – é a elevação natural e temporária do nível de água da drenagem de rios, córregos ou canais, devido ao aumento da vazão consequente da ocorrência de chuvas intensas e volumosas. A elevação da água nesse caso atinge a cota máxima do canal.
  • Inundação – ocorre quando a enchente ultrapassa a cota máxima do canal, transbordando para as áreas e terrenos marginais, chamadas de planícies de inundação ou área de várzea. As inundações podem ter causas naturais ou artificias, que no caso seria devido a ações humanas
A inundação ocorre após a enchente ou cheia do rio ultrapassar o limite máximo, transbordando água para toda região entorno. Foto: Agência Brasil.
  • Alagamento – é o acumulo momentâneo de águas em determinados pontos da região urbana que ocorre devido a deficiência do sistema de drenagem. Normalmente os alagamentos cobrem uma área menor que as inundações

Frequentemente observamos a ocorrência em sequência desses eventos, onde uma enchente provoca uma inundação que, por sua vez, gera um alagamento!

O problema das grandes cidades

Enchentes e inundações são processos que fazem parte do ciclo natural de determinadas regiões sendo muitas vezes benéficas ao meio em que ocorre. Porém, nas grandes cidades, elas podem ocorrer de forma mais grave e gerar grandes transtornos. O asfalto e cimento que compõe grande parte da superfície das cidades causam uma impermeabilização do solo, que passa a ter uma maior dificuldade em absorver a água da chuva. Essa água não absorvida pode se acumular, resultando nos alagamentos, ou escoar para os rios e córregos, fazendo com que o volume do rio aumente resultando nas enchentes e inundações.

Além disso, nas maiores cidades do Brasil, como São Paulo, o sistema de drenagem é muito ineficaz. Muitas das alterações feitas, como a impermeabilização do solo, a canalização dos rios e córregos, a construção em áreas de inundação, a retirada de vegetação e a má deposição do lixo, acabam por agravar a situação.

Infelizmente o cenário futuro não é nada otimista. Muito estudos tem mostrado que a frequência de chuvas intensas e volumas tem aumentado nas ultimas décadas e a tendência é que continue aumentando. Então, o número de dias que vamos ter que enfrentar aquelas fortes tempestades de final de tarde será ainda maior no futuro e, se nada for feito até lá, os episódios de alagamentos, inundações e enchentes provavelmente se agravarão.

Publicidade